Contos eróticos → Contos Pornô com Histórias Reais de Sexo » Histórias Reais » Orgia na minha empresa – As safadas do trabalho

Orgia na minha empresa – As safadas do trabalho

Publicado em setembro 12, 2019
4 votes

Sempre Trabalhei em grandes empresas na na área industrial, mais depois dos 40 muitos patrões acham que você está velho e não vai dar conta do recado, quase dois anos desempregado sem arrumar uma vaga, estava aceitando qualquer negocio.

Uma vizinha amiga da minha esposa levou meu currículo para uma confecção de moda intima feminina. Passei em todos os testes e fui contratado, o salário não era bom mais no momento, era o que eu tinha para sobreviver.

A área da manutenção era separada da produção, mais como quase todos os reparos eram urgentes eu os executava na própria produção para não perder tempo.

Na linha de produção só trabalhavam mulheres e por uma exigência da empresa, elas só poderiam vestir no trabalho uma camiseta grande sobre a calcinha, sem sutiã e com sandálias havaianas, apenas a encarregada se vestia normal com blusa, jeans e tênis. Era por uma questão de segurança patrimonial, já que parte das peças confeccionadas eram furtadas pelas funcionarias, quando elas vestiam uniformes.

Quando comecei a trabalhar eu fiquei louco de tesão com as insinuações maliciosas que a mulherada faziam. Eram mulheres para todos os gostos e nas mais diferentes formas altas, medias e baixinhas, gordas, gostosas e magrinhas, louras, mulatas e moreninhas, solteiras, casadas e safadinhas, velhas, meia idade e novinhas. Tinham algumas mais velhas, mais a maioria girava era assim. Eu as via todos os dias, seminuas com o biquinho do peito furando a camiseta, uma e outra com calcinha transparente ou minúscula, ou sem ela exibindo sua xoxota hora peluda, hora raspada ou aparadinha.

No primeiro mês fui muito assediado, tava tão fácil que parecia que aquela mulherada tarada não via homem a anos, mais procurei me comportar. No segundo tentei ser o mais discreto possível porque minha vizinha também trabalhava na empresa e que se diga de passagem, é muito gostosa, só que era amiga da minha esposa.

Só passei a perceber minha vizinha quando fui trabalhar nesta empresa, tentei marcar um encontro mais sem sucesso, após três meses de serviço quando o contrato de experiência acabou eu já estava enturmado com elas e cantava todas na maior cara de pau atirava para todos os cantos sem acertar ninguém, só rolava sacanagem e brincadeiras maliciosas.

Nunca tinha sido correspondido ate que certo dia pela manhã, comecei a receber confirmações das minhas investidas, na entrada da empresa a primeira me confirmou para sair no final do expediente. Todo satisfeito com a confirmação do convite não imaginava que na fila do cartão de ponto a segunda também marcaria para o final do dia, fui indeciso para o vestiário me trocar e depois para o refeitório tomar café comentava o ocorrido com os colegas de serviço que não sabiam me dar uma solução, não tinha nem terminado o meu café quando a terceira se aproximou dizendo que queria me falar em particular, levantei-me para ouvi-la e meu problema havia aumentado, ainda tentei desconversar disse que hoje não poderia e ela simplesmente respondeu você sempre quis e agora que eu estou afim você corre, ou é hoje ou é nunca.

Ligaram para a seção solicitando um mecânico fui para a gerência buscar a ordem de serviço para a troca de peças, que me foi entregue junto com um bilhete da quarta que confirmava o encontro no final do expediente.

O buchicho já começava a circular pela produção quando a minha vizinha veio manhosa me perguntar se eu iria sair com alguém mais tarde, disse que não; e ela respondeu que mais tarde eu não iria escapar dela, eu estava em uma sinuca de bico, com cinco mulheres a minha espera, parecia que tudo estava combinado entre elas, pois foi só uma aceitar meu convite que as outras também toparam.

Na hora do almoço, iniciou-se uma discussão entre elas para saber quem ira sair comigo ou quem eu deveria escolher para sair, o circo estava pegando fogo quando uma das poucas mulheres que tinha mais de 45 anos e que não tinha nada haver com a historia, falou:

Vocês não têm vergonha? Umas moças bonitas brigando por causa de um velho safado. Apontou em minha direção e continuou disparando: olha lá ele se divertindo vendo vocês brigarem, não importa quem ganhe hoje amanhã ele sai com a outra ate passar todas vocês na cara. As palavras da senhora caíram feito uma bomba dispersando a multidão, não sabia se era verdade mais depois do almoço o buchicho que rolava era de que tinham umas dez mulheres a fim de sair comigo.

Foi anunciado pela chefia que haveria hora extra na linha de produção e às 17hs quase todos os outros setores tinham ido embora.

Eu já estava quase saindo aliviado por saber que elas ficariam pressas na produção, quando me pediram para dar uma passadinha por lá. Imaginei que fosse algum concerto rápido ou que minha vizinha me pediria para esperá-la, mais quando entrei na produção vi que o setor estava vazio, aporta se fechou a minhas costa e quando me virei havia um exercito de mulheres atrás de mim, talvez umas 15 ou 20…

Fui agarrado e despido por elas, amarrado a mesa de moldes e vendado. A partir daí o resto foi só no sentimento, eu não saberia dizer quem ou qual eu estava possuindo, foram várias bocas a se revezarem em minha pica ou talvez ate a mesma a me chupar de maneira diferente, mais com certeza eu penetrei varias bucetinhas diferentes,  bucetas de todos os tipos porque tinha umas secas ou apertadas que me esfolavam a cabeça da piroca e outras largas ou molhadinhas que escorregavam gostoso.

Fiquei excitado, mais também estava nervoso pela maneira que rolava, fazendo com que a minha primeira gozada demora-se muito, meu sofrimento começou quando elas tiveram trabalho para reanimá-lo para a segunda, ai eu levei tapa na cara, na bunda, fui xingado, mordido, unhado e dedado por elas que ficaram horas se aproveitando de mim ate que ele, desenvolve-se novamente.

Quando ele ficou rígido foi uma briga para ver qual delas me usaria primeiro, sentia uma dor na base da piroca com uma puxando pra cá e outra puxando pra lá, aproveitei para morder o grelinho de uma que ficou rebolando a bucetinha na minha boca, não sei se quando travei meus dentes ela começou a gozar ou a mijar na minha cara, só sei dizer que era um liquido quente que me deixou muito excitado.

Percebi que a brincadeira estava acabando depois da minha segunda gozada, pois as vozes e o revezamento de mulheres em cima da minha piroca haviam diminuído. A que restou estava com muito tesão ou apaixonada por mim, porque era muito carinhosa e me fez uma chupeta tão maravilhosa que eu quase gozei em sua boca, mais ela parou antes não me permitindo gozar, montou em cima de mim e começou a cavalgar suavemente, depois foi acelerando aos poucos seus movimentos em quanto me unhava o peito e por ultimo deitou-se sobre mim movimentando apenas o quadril, não resisti ao seu balanço e esporei em seu útero.

Cansado e exausto, adormeci e fiquei e quando acordei porque chamei por elas em vão, eu estava completamente sozinho e quando o expediente começou às 7hs da manhã, eu era a atração da empresa rs….

8774 views

Contos relacionados

Pegando um bronze

Para Os Sacanas, todo dia é dia de sol... Dona Maria e Aninha pegando um bronze e Carlinhos só de olhos nas duas de topless...

LER CONTO

O dia que comi a prima da minha namorada

Hoje vou contar uma história que aconteceu comigo há um tempo atrás. Eu namorava há uns 3 anos, com uma garota chamada Caroline(*) e a mesma tinha uma prima que vou chama-la aqui de Talita(*). Ela...

LER CONTO

Meu patrão e minha patroa me comeram e realizaram minha fantasia

Sempre tive fantasias do tipo ménage, ou lugares diferentes, coisas que lemos em contos mas nunca tive coragem. Depois de 8 anos de casada e duas crianças o sexo papai e mamãe dentro de casa já...

LER CONTO

A mãe tarada e o filho nerd

A mamãe super tarada e o filho nerd vão ter uma boa trepada.. Ela está doida para tirar a virgindade do filho...

LER CONTO

Transa universitária: Minha primeira foda lésbica

Eu...sempre fui hétera até conhecer ELA, cabelos pretos e longo ,magrinha mas o jeito dela me atraia bastante. Não era assumida mas algo em mim me dizia que ela era Sapa! Entre Indas e vidas...

LER CONTO

Minha primeira vez no menage

Me chamo Ana* 1,60m, cabelos loiros, 50 anos, digamos que tenho um corpo bonito para minha idade. Meu namorado se chama Julio*, 1,70m, algumas tatuagens, uma língua maravilhosa que sabe trabalhar...

LER CONTO

Viagem com uma boa foda

Olá eu tenho trinta e dois anos, sou casada a doze anos e estamos em um momento meio crítico sexo já não é bom há muito tempo, não sei quando foi a última vez que senti um orgasmo com ele,...

LER CONTO

Transando no carro com uma novinha

Esse é meu primeiro conto, vou me identificar como galego 1,80m um corpo bonito, não sou bonitão, mas sempre me dei bem com as mulheres e elas dizem que tenho cara de cafajeste. Vamos lá... ...

LER CONTO

Incesto porno Comi minha irmã

Oi!  Eu tenho uma irmã por parte de pai que é muito gostosa mesmo. Ela tem 18 anos, é loirinha, de olhos grandes e azul, uma barriga retinha e um bundão, seu nome é  Júlia (fictício). Um...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 3 + 5 = ?
Deixe sua imaginação aflorar com os melhores contos eróticos reais do Brasil. Contos Picantes e Sensuais com textos bem formulados, com uma leitura fácil e agradável. São centenas de contos adultos grátis da melhor qualidade com fotos amadoras das histórias de sexo.
porno - xvideos - contos eroticos - contos eróticos - conto erotico - quadrinhos eroticos - contos de sexo - hentai - hentai porno
© 2021 - Contos eróticos → Contos Pornô com Histórias Reais de Sexo
error: